terça-feira, 27 de julho de 2010

94% dos protestantes são a favor do aborto?

Quero relembrar aqui um acorrido em 2008 quando tive o desprazer de ler o um artigo Jornal do comercio de  Recife em maio de 2008.

O artigo era sobre o aborto e as religiões, assinado por Amaury Medeiros, membro da academia Pernambucana de medicina. Ele afirmou que a maioria dos protestantes reconhece o aborto como escolha legitima da mulher...
Vivemos a era do pluralismo, quase sem verdades absolutas. Há outros colunistas afirmando que 94% dos protestantes são a favor do aborto em revistas de circulação semanais e de alcance nacional. Isso é a maior mentira já escrita e repetida, bem que vovó dizia, que papel em branco aceita qualquer coisa...
Ultimamente é tanto colunista colocando palavras na boca dos cristãos e protestantes, a respeito de aborto, sem citar fontes. Os protestantes das igrejas históricas desse país concordam mesmo com a legalização do aborto? Não! A salvo, em situações já amparadas pela lei em nossa nação.
Existem excelentes métodos contraceptivos, porque não usá-los preventivamente? Qual é a real necessidade de fazer a mulher passar por uma experiência traumática como o aborto Se existe diversos métodos contraceptivos eficazes?
O baixo grau de escolaridade e criminalidade está ligado diretamente aos filhos de mães solteiras. A solução não seria outra, ao invés de legalizar o aborto, um crime contra um ser indefeso. Realizem campanhas que valorizem a formação de famílias sólidas, um planejamento familiar sério com mães solteiras. Quem sabe campanhas para diminuir a erotização das crianças, fiscalizar certas mídias o fazem sem nenhum pudor.
JonBenet Ramsey, assassinada em 1996, era
uma popular rainha de beleza
 infantil de apenas seis anos, no Colorado.
Certamente os profissionais da saúde, não realizarão o aborto gratuitamente. Certo? Existe um alto lucro e outros interesses por trás de todo um discurso bem elaborado, dizendo proteger a vida da mulher.
Trabalhamos com famílias em situação de risco social há anos. vemos que não poucas adolescentes que fizeram aborto se sentem culpadas,  enfrentam a depressão e rejeição por parte da família e da sociedade.
O sistema único de saúde também vai pagar tratamento psicológico para essas adolescentes? Isso resolverá o problema do sentimento de culpa intrínseco em suas mentes?  Vai apagar o senso de certo e errado das mentes em formação?