quarta-feira, 25 de agosto de 2010

ONG Pão é Vida Inicia novas turmas para cursos gratuítos


A primeira aula da segunda turma dos cursos de costura industrial e informática aconteceu dia 24 de agosto 2010 ás 19:00h. na rua Vereador Severino Ribeiro da Silva, 94 no Bairro novo, (Travessa da 29 dezembro) em Santa Cruz do Capibaribe.
Ronaldo e Joana D arc Fundadores da ONG Pão é Vida, que desenvolve projetos de inclusão social em São Paulo e na região do Semi Árido, eles enfatizaram a importância desses cursos para aquelas pessoas que chegam ao Pólo de confecções para trabalhar e logo se deparam com a necessidade de qualificação.
Consolidamos o objetivo de oferecer cursos de costura industrial e informática para famílias em situação de risco social no inicio de 2010 em parceria com a ROTA DO MAR e a PIB em Santa Cruz.
As primeiras turmas concluíram os cursos dia 23 de julho 2010, os participantes já estão sendo inseridos no mercado de trabalho.
A ONG conta com o apoio de profissionais voluntários que ministram aulas as terças e quintas das 19:30h as 21:30h. Os voluntários Marcos Filho e Isis Sarmento manifestaram a alegria de poder fazer parte dos projetos que dão oportunidade a tantas pessoas. Marcos finalizou com um frase: Não escondo a alegria de poder está ao lado de Joana e Ronaldo que são bênçãos em minha vida.
Marta Xavier esteve participando do evento,  a empresa Rota do Mar cedeu às maquinas de costura e computadores para realização dos cursos.
Cursos gratuitos noturnos é uma iniciativa pioneira em Santa Cruz do Capibaribe.
Louvamos a Deus pelas parcerias que estão tornando possível esse projeto.
Ao final da aula foi realizado um sorteio de 3 brindes da ROTA DO MAR para os novos alunos.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Lençol Sujo


Um casal, recém casados, mudou-se para um bairro muito tranquilo.
Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou através da janela em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:

- Que lençóis sujos ela está pendurando no varal!
Provavelmente está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!
O marido observou calado.
Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher comentou com o marido:
- Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!
E assim, a cada dois ou três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.
Passado um mês a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis brancos, alvissimamente brancos, sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:
- Veja ! Ela aprendeu a lavar as roupas, será que a outra vizinha ensinou !? Porque , não fui eu que a ensinei.
O marido calmamente respondeu:
- Não, é que hoje eu levantei mais cedo e lavei os vidros da nossa janela!
E assim é...
Tudo depende da janela através da qual observamos os fatos.
Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir; verifique seus próprios defeitos e limitações.
Devemos olhar, antes de tudo, para nossa própria casa, para dentro de nós mesmos.
Só assim poderemos ter real noção do real valor de nossos amigos.
Lave sua vidraça.
Abra sua janela.
"Tire primeiro a trave do seu olho, e então verás claramente para tirar o cisco do olho do teu irmão" (Mateus 7:5)
 FONTE: chamada.com.br

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Eles aceitaram o desafio de viver em Manari

PÃO VIDA CHEGA Á MANARI / PE

Manari, no sertão de Pernambuco, assusta pelos números. Segundo a classificação do PNUD, o município tem o menor IDH-M (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) do Brasil. A renda per capita média de R$ 30,43, com R$ 28,38.
Na prática, quase não existem fontes primárias de renda. A maior parte da população de 13 mil habitantes sobrevive, principalmente, de três recursos: lavoura de subsistência, assistência governamental e aposentadorias.
Área: 550,6 km²
Distância da capital: 318,4 km
População total: 13.028 habitantes
População rural: 10.741 habitantes (82% do total)
IDH: 0,467 (menor do Brasil)
Taxa de analfabetismo: 57%
Taxa de analfabetismo funcional: 86%
Esperança de vida ao nascer: 55,7 anos
Mortalidade infantil: 109,67 por mil.
EM AGOSTO 2009 - PROJETOS DA ONG PÃO VIDA EM MANARI / PE
Peças de teatro
Teatro de fantoches para 400 crianças
Entrega de donativos (cestas básicas, roupas e alimentos) para famílias mapeadas.
67 cestas básicas entregues a famílias mapeadas pelo Missionário Antonio Manoel
 e Milhares de peças do vestuário além distribuição de centenas de pares de calçados novos e usados.
DONATIVOS PARA OS ÓRFÃOS DE MANARI EM 2010
Agradecemos aquelas pessoas que responderam ao nosso apelo para juntos realizamos a campanha para comprar leite Nan 1, e arrecadar roupinhas e fraudas para os 3 bebês órfãos de Manari, no Sertão do Moxotó. Dias 6 e 07 de abril 2010 fomos pessoalmente a Manari visitar famílias e entregar os donativos. Nos deslocamos para a Serra do Saco, onde visitamos famílias, falamos do amor de Deus. Deixamos cestas básicas para as famílias que estão sendo acompanhadas pelo Missionário Antonio Manoel e sua esposa Sirleide. Em maio foram enviadas mais caixas contendo cada uma 12 latas de Nan 1.
Cremos que de agora em diante ficará mais fácil a adaptação deles com um leite integral, uma vez que os três primeiros meses já passaram. Se houver outra necessidade estaremos buscando ajuda dos amados para que possamos ajudar.
ELES ACEITARAM O DESAFIO DE VIVER EM MANARI
Família missionária: Antonio, sirleide, kerolayne, Elaine e Maique.
Antonio manoel, Sirleide - Missionários batistas que vivem em Manari.
Há dois anos eu e minha família que vivíamos no Recife, aceitamos o desafio de pregar o evangelho em Manari, apontada como a cidade mais pobre do Brasil. O desafio é realmente grande pois na cidade só tem 4 mil habitantes, os 13 mil moram nos 57 sítios, mesmo sem transporte próprio já atuamos em 12 sítios com ações de cidadania e evangelismo. Temos uma congregação na cidade. Durante esse tempo temos recebido vários grupos de missionários, ONGs, e igrejas que tem nos ajudado. No entanto grandes são nossos desafios para realizar projetos aqui por causa da grande demanda de necessitados. SE PUDER CONTRIBUIR COM O SUSTENTO DA FAMÍLIA MISSIONÁRIA SEGUE OS DADOS: Telefones: 81 94143935 / 94143935
Email: pastor_antoniofilho@hotmail.com
Nome completo: Antonio Manoel do Nascimento Filho
Bradesco AG 3210 - conta corrente 541 939 -5
CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - AG 0559 - Conta: 02300000477-3
 ONG Pão é Vida está atuando em Manari desde agosto de 2009. Conhecemos o casal Manoel e Sirleide, hoje estamos cooperando com ações de cidadania.
VEJA ABAIXO TRECHO DE REPORTAGEM SOBRE MANARI – DIVISA DE PE / ALAGOAS.
REPORTAGEM SOBRE MANARI DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Marco Bahé - Da equipe do DIARIO de Pernambuco
Hospital? Não tem. Esgoto? Também não. Escola? Tem, mas só até o ensino fundamental. Analfabetos? Tem demais: 80% da população adulta. Estrada asfaltada, nem pensar. Bancos e órgãos de Justiça jamais. Esta é Manari, a terceira cidade mais pobre do País, segundo o último censo do IBGE e a que apresenta o pior Índice de Desenvolvimento Humano. Localizada no Sertão do Moxotó, Pernambuco, a 376 km do Recife, o município apresenta uma das menores rendas médias por chefe de domicílio: R$ 98 por mês.
E Manari é pobre mesmo quando comparada às mais pobres. A escolaridade na cidade é de 2,9 anos de estudo, contra 4,3 anos no Nordeste. Dos 13.028 habitantes do município, apenas 162 têm emprego formal. Mesmo assim, 142 deles são funcionários públicos. A cidade tem apenas 2,9 mil domicílios catalogados. Somente 12 têm água encanada. Outros 42 têm poço. Todo o restante é abastecido por caminhões-pipa, com direito a contados 40 litros d'água por dia. Não mais que 78 lares têm coleta de lixo. E 744 podem se vangloriar de possuir banheiro ou sanitário.
... xerém de manhã, de tarde e de noite. Faz tempo que ninguém vê um pedaço de carne. O feijão, quando aparece, é tão velho e duro que a gente gasta lenha de três dias para poder cozinhar", relata. (...)

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O aborto como problema de saúde pública, como enganar o povo brasileiro?

Na noite do primeiro domingo agosto de 2010, o programa "Fantástico",Governo volta a defender descriminalização do aborto em documento
transmitido pela Rede Globo de Televisão, transmitiu uma reportagem na qual eram exibidas cenas tomadas em clínicas de aborto clandestinas, revelando o envolvimento de policiais que protegem o crime, a conivência do Conselho Federal de Medicina, que só pune o médico que pratica aborto em caso de reincidência, e a permissividade das autoridades que permitem a venda ilegal de drogas abortivas.
Tentou-se manter pouco visível para o público que este programa fazia parte de uma série de outros que a Rede Globo vem
apresentando, como o veiculado pelo mesmo Fantástico no dia 10/6/2010, nos quais o aborto é sistematicamente apresentado como um problema de saúde pública.
É fato conhecido que apresentar o aborto como problema de saúde pública é a estratégia utilizada pelo nosso governo para promover não só a legalização do aborto, como também o reconhecimento desta prática como um direito.
Quando o governo insiste que o aborto deve ser considerado um problema
de saúde pública, o que se quer dizer é que sua prática não mais
deve ser considerada como uma questão de direito penal, o que, dito
em outras palavras, significa o mesmo que sustentar que a prática do
aborto não deve ser proibida por lei. Ora, segundo o próprio
direito, tudo o que não é explicitamente proibido pela lei é direito dos cidadãos.
É o que fez o governo Lula em 2005, ao reconhecer perante a
ONU, em documento oficial, o aborto como um direito humano das
mulheres e em seguida afirmando-se comprometido a revisar a
legislação punitiva para as mulheres que praticam o aborto, conforme
consta nas páginas nona e décima do "SEXTO INFORME PERIÓDICO DO
BRASIL" apresentado pelo governo brasileiro em agosto daquele ano ao
Comitê da ONU para a Eliminação da Discriminação contra a Mulher.
BRASÍLIA - Mais tentativas de legalizar o aborto...
Dois meses após ter sido excluída do 3º Programa Nacional dos Direitos Humanos, a descriminalização do aborto voltou a ser defendida oficialmente pelo governo brasileiro. No documento "Consenso de Brasília", resultado da XIª Conferência Regional sobre Mulheres do Caribe e da América Latina, do Cepal, vinculado à ONU, a ministra da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, Nilcéa Freire, defendeu a revisão das leis que prevêem medidas punitivas contra as mulheres que tenham cometido aborto. Esta é uma das 79 ações previstas no texto, incluída no capítulo dos direitos sexuais e reprodutivos. O evento ocorreu em Brasília e ratificou posições de tratados internacionais.
O fim das penas para a mulher que aborta teve apoio de 33 países e a ressalva de três contrários: Estados Unidos, Chile e Costa Rica. Depois de muita polêmica e pressão de vários setores, principalmente da Igreja Católica, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou alterações no programa de Direitos Humanos, no início do ano. A defesa de projeto que descriminaliza o aborto foi substituída pelo entendimento de que trata-se de um tema de saúde pública. Como anfitriã do evento, Nilcéa coordenou várias mesas de debate, entre as quais a que discutiu o aborto. A ministra fez uma defesa enfática do fim da punição para essas mulheres e foi elogiada por representantes de entidades não-governamentais.
- A ministra Nilcéa agiu de forma muito corajosa. Na véspera de uma eleição, ela defendeu com muita garra esse compromisso. Existe um conflito dentro de governo, mas de forças desiguais. Tirar esse assunto do papel exige uma grande pressão da sociedade - disse Guacira Oliveira, diretora do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (Cfemea), que acompanhou essa discussão na conferência.
O secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Dimas Lara, afirmou que a entidade defende bandeiras históricas dos direitos humanos, mas voltou a criticar a descriminalização do aborto e a inclusão desse artigo no texto da Conferência das Mulheres. Dom Dimas disse que a expressão "revisar leis que prevêem medidas punitivas para mulheres que cometem abortos" significa descriminalizar o que hoje é um crime.
- É aquela história do uso do eufemismo, para não dizer abertamente o que está no cerne da questão. É como falar em interrupção voluntária da gravidez, uma forma menos direta de se chamar o aborto. Virou chavão dizer que a mulher tem direito sobre seu corpo. Mas é uma concepção falaciosa. Um embrião é outro corpo - disse Dom Dimas Lara.
A subsecretaria de Articulação de Institucional da Secretaria Especial das Mulheres, Sônia Malheiros Miguel, afirmou que o fim da punição para mulheres que abortam integra documentos de outras conferências internacionais, como a de Beijing, de 1995, que também foi apoiado pelo governo brasileiro. Para Sônia, condenar a prisão uma mulher que fez um aborto, é fazê-la sofrer duas vezes.
- O governo brasileiro tem uma posição clara, que não se trata de uma questão criminal, mas de saúde pública. Somos contra punições para essas mulheres - disse Sônia Malheiros.
Sobre novas críticas a essa posição da Secretaria de Mulheres, Sônia afirmou que não entenderam o papel do documento "Consenso de Brasília".
- O documento sugere políticas. Não é lei nem no Brasil nem em lugar nenhum do mundo. São posições que devem ser olhadas.
A subsecretária afirmou que revisar as leis pode ter muitos significados, como desde ampliar situação do chamado aborto legal (no Brasil hoje, só em caso de estupro ou risco de morte da gestante) ou até mesmo legalizar essa prática.
- Depende da discussão e vontade de cada sociedade.
FONTE O GLOBO - oficial 22/07 às 22h10 Evandro Éboli

terça-feira, 10 de agosto de 2010

FAO amplia campanha na internet para erradicar a fome

Renata Giraldi, AGÊNCIA BRASIL 03/08/2010 16:48 Brasília 
Organização das Nações para Agricultura e Alimentação (FAO) quer ampliar o apoio à campanha mundial de erradicação da fome. A petição que propõe um esforço coletivo já reuniu 251 mil assinaturas eletrônicas.
As informações são da FAO. Porém, especialistas informam que se o mundo mantiver o atual ritmo, essa meta só será alcançada em 2150. A campanha de erradicação da fome tem como símbolo um ícone da campanha representando um alerta. Banners para incentivar as pessoas a assinar a petição foram traduzidos para 13 idiomas.

"A bola está rolando agora e estamos em um bom caminho para atingir a meta de 1 milhão de assinaturas até o final de novembro", disse o diretor-geral da FAO, Jacques Diouf. "Encorajo todos para que assinem a petição online para mostrar solidariedade com 1 bilhão de famintos." Diouf disse que a petição deve ser assinada por quem "considera inaceitável o fato de haver cerca de 1 bilhão de pessoas cronicamente famintas". Para estimular o apoio, foi elaborado um vídeo promocional, de um minuto, com o ator inglês Jeremy Irons. Ele pede que as pessoas reajam e pressionem as autoridades a adotar ações para acabar com a fome no mundo. Paralelamente, a FAO incentiva a adesão à campanha por meio das redes sociais na internet.

            FAO: UMA EM CADA 6 PESSOAS PASSAM FOME NO MUNDO

Dia 19 de junho de 2009
O número de pessoas passando fome no mundo ultrapassou a marca de 1 bilhão, advertiu hoje, em Roma, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). De acordo com a entidade, a população mundial de pessoas famintas aumentou em quase 100 milhões desde o ano passado, alcançando 1,02 bilhão. Isso significa que um em cada seis seres humanos passa fome atualmente.
A FAO atribuiu o aumento no número de famintos a uma combinação da crise financeira internacional com a persistente elevação dos preços dos alimentos. Ao anunciar o dado, o diretor-geral da entidade, Jacques Diouf, advertiu que a crise alimentar "representa um grave risco para a paz e a segurança no mundo".
Em relatório divulgado hoje em Roma, a FAO observa que quase toda a população de pessoas subnutridas vive atualmente nos países em desenvolvimento. De acordo com as estimativas da entidade, desses mais de 1 bilhão de famintos, 642 milhões vivem na região da Ásia e do Pacífico e 265 milhões na África subsaariana.
O QUE É FAO ? - The Food and Agriculture Organization of the United Nations, ou seja, a ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ALIMENTAÇÃO E A AGRICULTURA. Foi fundada em 1945. FONTE: LEIA MATÉRIA DO ESTADÃO