QUEM SOMOS

  ATUAÇÃO EM SÃO PAULO  & SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO

O casal ficou conhecido nacionalmente em 2007 após matéria de destaque na revista Época, e em 2009 quando o Domingão do Faustão enfatizou projetos sociais e contou a história do casal que morou num ônibus casa (Motor Home) por 3 anos.

Depois disso, inúmeras mídias fizeram matéria com a história do casal que deixou o extremo sul do país para viver na região do Semiárido Brasileiro. 
             Como  tudo começou?

Ainda vivendo no Rio Grande do Sul, estavam vendo o noticiário, quando exibiram uma reportagem sobre a seca no Semiárido brasileiro. Daquelas emblemáticas, nela uma mulher aparentando ter uns 29 anos, escorada em uma habitação feita de barro e varas, foi abordada por um repórter.  Seu semblante impossível de esquecer, o cristalino do olho estava totalmente amarelado. O repórter, perguntou o que ela tinha, ela respondeu que caminhou foi até cidade, para ir ao médico {...} ele disse que ela tinha anemia profunda, precisava se alimentar. Aquela mulher, explicou ao repórter que perguntou ao médico onde achava comida. Ela e o filho estavam ali sem nada para comer, não tinha serviço, (corte de cana). No dia seguinte, o noticiário informou que havia alguém interessado em apadrinhar aquela mulher, doando cestas básicas, mas, a nobre atitude não poderia devolver a vida aquela mulher, pois ela já havia morrido, de fome.



CURRAISNOVENSE É DESTAQUE NA REVISTA ÉPOCA

 A curraisnovense Joana D’Arc, casada  com o gaúcho Ronaldo Henzel, e que juntos, desenvolvem um trabalho belíssimo em comunidades no Sertão Nordestino, foi relacionada entre os trabalhos sociais publicado no Projeto Generosidade, da revista de circulação nacional,  Época.
Na matéria intitulada “Procuram-se mais brasileiros como estes”, o casal que vendeu tudo que tinha para realizar um sonho, é um dos destaques da revista. Joana e Ronaldo que vivem de comunidade em comunidade em um ônibus, dando cursos, palestras e incentivando a parceria entre as pessoas, produz muita generosidade e esperança nos corações daqueles que as oportunidades insistem em não aparecer.
Pessoas como eles, ajudam a construir um país melhor. Há alguns meses Joana D’Arc, em um daqueles momentos raros que ela pôde vir a Currais Novos, deu uma entrevista exclusiva ao site cn agitos, contanto como tudo começou, as dificuldades e os prazeres que o Projeto Pão e Vida proporciona ao casal.

                          PROCURAM -SE MAIS BRASILEIROS COMO ESTES.
                    ELES EMBARCARAM EM UM SONHO - REVISTA ÉPOCA ( Edição 479)
Ela tem nome de santa e a persistência que só o seridoense conhece. A curraisnovense Joana Darc, tem uma história de vida digna de um roteiro de filme, que emociona a qualquer um.
Aos 18 anos foi morar em São Paulo, como muitos nordestinos que fugiram da seca e da falta de perspectiva e buscava uma vida melhor na região sudeste. Lá, onde já morava seus irmãos,  trabalhou durante anos em duas empresas. Foi na capital paulista também, que conheceu em 1997,  seu esposo Ronaldo Henzel. Isso  mudaria para sempre a sua vida e os seus sonhos.
No ano seguinte casou e foi morar em Pelotas/RS, onde Ronaldo tinha há 24 anos uma empresa de material publicitário. Joana Darc, investiu em mais alguns cursos, entre eles,  artesanato e de cabeleireira, ofício em que se formou, em seguida,  montou seu próprio negócio. Junto com o marido, tinha casa própria e vivia confortavelmente.
Porém ainda faltava realizar um sonho de infância: “Eu tinha um projeto no coração, sempre sonhei em realizar trabalhos sociais”. Junto com o marido começaram ajudar algumas instituições da cidade em que moravam. Mas foi em uma das viagens que fez de carro, que ela descobriu onde precisavam mais de sua ajuda. “Nós viemos do Rio Grande do Sul até o Rio Grande do Norte pelo o litoral de carro, nesse ano, houve uma estiagem muito grande aqui no Nordeste. A partir de Pernambuco, a gente resolveu vir pelo interior, foi ai, que eu apresentei ao meu marido, o outro Brasil. Ele não acreditou no que viu”, disse.  Fonte: CN agitos
 HISTÓRIA DE VIDA HUMANA 
Houve um tempo em que  Joana D´arc era apenas uma menina sertaneja, que caminhava quilômetros por estradas empoeiradas para ir ao grupo escolar Pedro Cipriano Dantas (nome do seu Bisavô). Ela nasceu no Sertão do Rio Grande do Norte; seus pais, Geraldo Dantas de Medeiros e Marilene Dantas, é sobrinha do poeta e escritor Celestino Alves, também Norte Rio Grandense. Aos 18 anos Joana foi para São Paulo, onde trabalhou em empresas como a Wrangler e C.  Prata LTDA. Se profissionalizou como cabeleireira na Teruya (renomada escola de cabeleireiros de São Paulo) e Design gráfico. Joana é a presidente da ONG PÃO É VIDA, desbrava os lugarejos do Sertão levando diversos projetos e atividades até as comunidades.
Aos 20 anos conheceu um empresário gaúcho em São Paulo, onde gerenciava uma empresa. Ronaldo Henzel possuía uma sólida empresa, RRH - Comércio e Representações, atuante em 68 municípios do Rio Grande do Sul. Casaram de fevereiro de 1998 na cidade de Pelotas, onde viveram por mais de 7 anos.
Em 2004 comprarem um Motor Home e decidirem morar nele rodando pelo Nordeste Braseiro, desenvolvendo diversos projetos.
UMA FRASE DELA: O mundo é feito de pessoas que fazem a história, ou sofrem a história
QUEM É RONALDO HENZEL?  Descendente de imigrantes alemães que já estavam no Sul do Brasil em 1827 (...). Viveu a maior parte da vida no Rio Grande do Sul, na Cidade de Pelotas, onde foi empresário do ramo publicitário por 24 anos. - Em uma viagem de negócios a São Paulo em fevereiro de 1997, conheceu Joana D arc, casaram em fevereiro de 1998. Por 7 anos viveram no Rio Grande do Sul. Ronaldo veio ao Nordeste de férias pela primeira vez em 1999, quando conheceu o Sertão, depois disso foram mais 2 viagens de carro do Rio Grande do Sul ao Rio grande do Norte. Assim conheceu bem seu país e a região do Semi- Árido (...). daí sua vida deu um giro de 180º.
Em 2003 compraram um ônibus casa e tiraram a Pão é Vida do papel, já estão há mais de 6  anos longe do outro Rio Grande, o do Sul e para alegria nossa, perto do nosso Rio Grande, o do Norte.
Em 2004 concluíram o preparo Missio-teológico do Campus Crusade for Christ / EUA em São Paulo.  Já haviam concluído o curso Missiológico no Rio Grande do Sul. Rumaram para o Nordeste do Brasil a bordo do motor home, para desenvolver diversos projetos.
Eles ministram palestras em empresas e instituições sociais, desenvolvem também parcerias para levar adiante as atividades da instituição fundada com o objetivo de plantar boas sementes no coração de cada pessoa.
UMA FRASE DE RONALDO: Amo Jesus Cristo, acredito que o amor é a maior força que o homem pode conhecer!
FONTE: Trechos da reportagem da  Revista Currais Novos em Destaque 2009.
                                   PÃO É VIDA NO DOMINGÃO DO FAUSTÃO EM 2009
Um gaúcho  encontrou uma menina do Rio Grande do Norte, em São Paulo, que se tornou a mulher de sua vida! Ronaldo foi a trabalho na loja de Joana e insistiu por carta e telefone durante vários meses. Eles se encontraram por apenas três vezes e casaram! 7 anos depois, venderam tudo e assumiram o sonho de viajar e morar em um ônibus para desenvolver um projeto social no sertão brasileiro. O casal criou um projeto com oito frentes de conscientização dos sertanistas para que eles tenham como agir para conseguirem seus sonhos. Oficinas de leitura, de corte de cabelo, de artesanato, palestras motivacionais e preventivas estão dentre as ações empregadas. A idéia deles é não só dar o peixe, mas ensinar a pescar. Hoje, o projeto tem 40 voluntários, mas a idéia é ampliar. “Estamos semeando algo que hoje não se dá muita importância, mas, daqui há alguns anos, as crianças terão outra consciência”, finaliza Joana. Confira detalhes no projeto clicando no vídeo abaixo!
ASSISTA AO VÍDEO DA TV GLOBO EM 2009

A EMPRESA ROTA DO MAR HOMENAGEIA FUNDADORES DA ONG PÃO É VIDA EM 2010

 Dia 18 de dezembro de 2010 durante confraternização anual da Rota do Mar, a empresa pernambucana  homenageou o casal Ronaldo e Joana D`arc Henzel pela dedicação e empenho nas atividades da ONG Pão é Vida. A iniciativa do casal que vem sendo reconhecida em todo Brasil e conta com parcerias com o setor privado e doações para continuar existindo. A empresa Rota do Mar é uma das empresas parceiras dessa iniciativa.
A ONG Pão é Vida é uma organização sem fins lucrativos fundada pelo casal Ronaldo e Joana D´arc, um gaúcho e uma sertaneja.  Moravam no Rio Grande do Sul e sempre visitavam o Nordeste para passear e rever os familiares da Joana. Foi em uma das 3 viagens fizeram percorrendo o Brasil, do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte, que conheceram as belezas e contrastes de um imenso país chamado Brasil.
Em 2005 vivenciarem experiências pessoais que levou a uma mudança de foco, eles tomaram a decisão de tirar a ONG Pão é Vida do papel. Venderam as empresas que possuíam na cidade gaúcha de Pelotas, uma distribuidora de material publicitário, com sede própria no centro de Pelotas e um Instituto de Beleza nas Três vendas. Compraram um Motor Home e após firmar parcerias e legalizar a instituição em São Paulo rumaram para a região do Semiarido. Morando no Motor Home por 3 anos atuaram em comunidades exibindo filmes, promovendo oficinas de leitura, mutirões solidários (oficinas, palestras, obtenção de documentos) em 4 estados brasileiros, São Paulo, Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco. Atualmente a ONG Pão é Vida desenvolve projetos voltados para desenvolvimento local e resgate da cidadania, dentre os cursos já ofertados estão: informática, corte e costura industrial e cabeleireiro em Santa Cruz do Capibaribe, no agreste de Pernambuco e em outras comunidades do Sertão.

 RONALDO HENZEL RECEBE MEDALHA EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE / PE

Nesta quarta-feira, 29 de Setembro de 2010, feriado municipal, foi concedida, na Câmara Municipal de Santa Cruz do Capibaribe, a “Medalhas Pe. Zuzinha” e o titulo de cidadã santacruzense à Drª. Kassandra Lacerda Soares, por seus serviços prestados na saúde do município.
           
Criada em 2005, pelo ex- vereador Rui Medeiros, a "Medalha Padre Zuzinha" tem o intuito de conceder Títulos Honoríficos no município, às pessoas que tenham contribuído nas atividades culturais, políticas, científicas e sociais, de forma decisiva para o progresso de Santa Cruz do Capibaribe. 
Ronaldo Henzel foi um dos 36 homenageados em 2010. Para tanto, cada vereador tem direito de homenagear cinco personalidades, no entanto nem todos concedem as cinco medalhas. Os vereadores aproveitaram o momento para entregar as medalhas para os 36 homenageados.
           

                                     Joana e Ronaldo

Nestes dias em que a regra é sempre o “primeiro eu, o resto que se exploda”, onde o egoísmo e a ganância imperam e o cruel jogo da sobrevivência nos impele a passar por cima uns dos outros em nome do êxito e riqueza pessoal, é difícil crer que ainda possa existir um altruísmo autêntico e verdadeiro.

Também pudera, tantos e tantos casos de pseudo-filantropos que se aproveitam da generosidade alheia e até de fundos governamentais para locupletar os próprios bolsos nos fazem ficar “cabreiro” ante qualquer demonstração do que será algo verdadeiramente pensado para o próximo.

Mas não podemos perder a esperança e SIM o verdadeiro trabalho altruísta, pensado, gerido e voltado para o próximo, para os menos validos na vida, em detrimento do enriquecimento pessoal, existe e pode ser encontrado bem perto da gente.

Dois estados tão distintos e tão distantes um do outro neste nosso continental país. Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte, o Brasil se encontra na solidariedade, através da ação de um jovem casal, ele, um gaucho, Ronaldo Henzel, ela uma potiguar, currais-novense por sinal, Joana Darc, a primeira vista um casal como outro qualquer, gente de classe média, poderia se passar por um casal de profissionais liberais, comerciantes, funcionários públicos etc., mas não, eles exercem um dos mais nobres trabalhos filantrópicos, através da ONG (Organização Não-Governamental) Pão é Vida.

Quem não conhece o trabalho da ONG (Organização Não-Governamental) Pão é Vida, deveria conhecer. Eles escolheram como meio de vida desenvolver uma ação de inclusão social, fundado no trabalho voluntário e sem qualquer vinculação com órgãos públicos instituições ou igrejas, dentro de um velho ônibus Marcopolo II, eles peregrinam entre cidades do alto sertão de Pernambuco e Alagoas, uma das regiões mais sensíveis, para não dizer miseráveis, do país, levando muito além de um assistencialismo barato, mas sim profissionalização, capacitação profissional, oficina de leitura, assistência médica, tudo isto sem custo algum às comunidades.
Atualmente eles estão baseados na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, Pernambuco, cidade conhecida não só pelas suas confecções, mas também pela sua incomum violência urbana.
É fácil criticar o estado por não estar presente nas comunidades mais desvalidas do país o difícil é arregaçar as mangas e buscar preencher os espaços vazios deixados por este estado ausente. E isto Ronaldo e Joana fazem.

Nesse mundo em que a ascensão social e o enriquecimento, ou tentativa de enriquecimento, a todo custo são uma regra, uma maldita regra que se impele passar uns por cima dos outros, lagar tudo, todas as regras deste jogo infame chega a beirar as fronteiras do absurdo. Absurdo?! Absurdo seria não pensar no próximo.

Fonte: http://passadocontinuo.blogspot.com/2011/04/joana-e-ronaldo.html